domingo, 25 de maio de 2014

A VIDA É AGORA, VÊ SE ENTENDE...



''Dentro da igreja, ajoelhe-se. No estádio de futebol, grite pelo seu time. Numa festa, comemore. Durante um beijo, apaixone-se. De frente para o mar, dispa-se. Reencontrou um amigo, escute-o.
Ou faça de outro jeito, se preferir: dentro da igreja, escute-O. Durante um beijo, dispa-se. No estádio de futebol, apaixone-se. De frente para o mar, ajoelhe-se. Numa festa, grite pelo seu time. Reencontrou um amigo, comemore.
Esteja, entregue-se.''


(Martha Medeiros - Os ausentes)

quinta-feira, 22 de maio de 2014

POEMA EM LINHA RETA


  • Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
    Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

    E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
    Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
    Indesculpavelmente sujo,
    Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
    Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
    Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
    Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
    Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
    Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
    Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
    Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
    Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
    Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
    Para fora da possibilidade do soco;
    Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
    Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

    Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
    Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
    Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...

    Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
    Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
    Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
    Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
    Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
    Ó príncipes, meus irmãos,

    Arre, estou farto de semideuses!
    Onde é que há gente no mundo?   (...)



Saudade




Hoje a saudade bateu em minha porta
Eu avisei a ela que só poderia entrar sozinha
Sem melancolia, sem mágoas, sem lágrimas, sem arma nenhuma
A saudade concordou
E eu escancarei a porta.

Ranúzia Mello

O que deseja, moça?

- O que deseja moça?
- Um punhado de amor.
- Alguma restrição?
- Sim. Sem aspas, por favor.

[Fernanda Kinas]

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Final Feliz


Eu acredito no  "e foram felizes para sempre"...
E você? Acredita?

Ranúzia Mello

sexta-feira, 16 de maio de 2014

ESCONDERIJO


Meu melhor esconderijo... dentro de minha cabeça, num mundo perdido,  achado...
                                                                               um mundo de miragens, de verdades, de milagres.
Porto seguro para minhas fugas,,,
Fujo do mundo, fujo de mim... fujo de mim para me encontrar...
Esse esconderijo é maior que tudo que possa existir, pois ele é pura imaginação.

Ranúzia Mello

sexta-feira, 9 de maio de 2014

MEDO




Meu maior medo é viver sozinho e não ter fé para receber um mundo diferente e não ter paz para se despedir. Meu maior medo é almoçar sozinho, jantar sozinho e me esforçar em me manter ocupado para não provocar compaixão dos garçons. Meu maior medo é ajudar as pessoas porque não sei me ajudar. Meu maior medo é desperdiçar espaço em uma cama de casal, sem acordar durante a chuva mais revolta, sem adormecer diante da chuva mais branda. Meu maior medo é a necessidade de ligar a tevê enquanto tomo banho. Meu maior medo é conversar com o rádio em engarrafamento. Meu maior medo é enfrentar um final de semana sozinho depois de ouvir os programas de meus colegas de trabalho. Meu maior medo é a segunda-feira e me calar para não parecer estranho e anti-social. Meu maior medo é escavar a noite para encontrar um par e voltar mais solteiro do que antes. Meu maior medo é não conseguir acabar uma cerveja sozinho. Meu maior medo é a indecisão ao escolher um presente para mim. Meu maior medo é a expectativa de dar certo na família, que não me deixa ao menos dar errado. Meu maior medo é escutar uma música, entender a letra e faltar uma companhia para concordar comigo. Meu maior medo é que a metade do rosto que apanho com a mão seja convencida a partir com a metade do rosto que não alcanço. Meu maior medo é escrever para não pensar.

(trecho de Pais e filhos maridos e esposas II)

Fabrício Carpinejar

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

teimosia...



"acenda um fósforo em mim, não queima
perfure uma faca, não jorra
cuspa na minha cara, não escorre
quase nada me traz consequência
não há aderência em gente que teima."

(Martha Medeiros - Cartas Extraviadas e outros poemas)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Medicação Preventiva


P
ense muito, antes da discussão. O discutidor, por vezes, não passa de estouvado.
Use a coragem, sem abuso. O corajoso, em muitas ocasiões, é simples imprudente. 
Observe os seus métodos de cultivar a verdade. Muitas pessoas que se presumem verdadeiras, são veículos de perturbação e desânimo. 
Proceda com inteligência em todas as situações. Não se esqueça, porém, de que muitos homens inteligentes são meros velhacos. 
Seja forte na luta de cada dia. Não olvide, contudo, que muitos companheiros valentes são suicidas inconscientes. 
Estime a eficiência. No entanto, a pretexto de rapidez, não adote a precipitação. 
Não enfrente perigos, sem recursos para anulá-los. O que consignamos por dessasombro, muita vezes é loucura. 
Guarde valor em suas atitudes. Recorde, entretanto, que o valor não consiste em vencer, de qualquer modo, mas em conquistar o adversário no trabalho pacífico. 
Tenha bom ânimo, mas seja comedido em seus empreendimentos. Da audácia ao crime, a distância é de poucos passos. 
Atenda a afabilidade e a doçura em seu caminho. Não perca, porém, o seu tempo em conversas inúteis. 

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã.
Ditado pelo Espírito André Luiz.

A partir desse texto, crio um marcador, uma pasta relacionada somente a assuntos espirituais ou da alma, não que os outros textos também não estejam ligados de certa forma a esse assunto.   

domingo, 2 de setembro de 2012


"A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas coisas boas como se fosse a primeira vez."

(Friedrich Nietzsche)

"Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal."

(Friedrich Nietzsche)

sábado, 1 de setembro de 2012


"Pensa no que pode ser doce. Guarda."


(Vanessa Leonardi)


"Não vivo mais numa eterna busca, vivo um dia de cada vez. O final do meu arco-íris é bem debaixo do meu nariz. Minha vida é desalinhada, não sou de farra, nem boa pra casar. Sou do avesso, me gosto assim. Acredito no amor, escolhi viver assim. Valorizo até a menor das intenções. A boa fé. Acredito mais no presente. Do futuro, desconfio muito. Acredito quando a conversa é com os olhos. Acredito no que a alma fala. Na verdade, exagero demais na risada que só frouxa quando o vento é forte e estoura em risada outra vez."

(Vanessa Leonardi)

quinta-feira, 30 de agosto de 2012



‎"Que a mágoa não dure o tempo de abrir distâncias. Mas que dure o suficiente para aprendermos que nós também erramos. Que nossos silêncios não aprisionem nunca as nossas verdades, e se transformem em prece ao anoitecer."

(Camila Heloíse e Nayara Fernandes)

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

MÃE


Mãe



Reveladora e renovadora do mundo.
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.

Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições...
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.

Cora Coralina

Reinvenção



A vida só é possível
reinventada.
Anda o sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas…
Ah! tudo bolhas
que vem de fundas piscinas
de ilusionismo… — mais nada.
Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.
Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.
Não te encontro, não te alcanço…
Só — no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só — na treva,
fico: recebida e dada.
Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.
Cecília Meireles

Como meu blog ficou tanto tempo sem esse poema?

domingo, 26 de agosto de 2012

DIETA


Quando for comer um chocolate, pense que ele irá ficar alguns momentos na sua boca, algumas horas no seu estômago e a vida toda na sua bunda!

sábado, 25 de agosto de 2012

RECOMEÇO


"É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou. Entregar todos os teus sonhos porque um deles não se realizou, perder a fé em todas as orações porque em uma não foi atendido, desistir de todos os esforços porque um deles fracassou. É loucura condenar todas as amizades porque uma te traiu, descrer de todo amor porque um deles te foi infiel. É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo. Espero que na tua caminhada não cometas estas loucuras. Lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor, uma nova força. Para todo fim, um recomeço."

(Antoine de Saint-Exupéry)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

quarta-feira, 22 de agosto de 2012



"Às vezes a gente vai-se fechando dentro da própria cabeça, e tudo começa a parecer muito mais difícil do que realmente é. Eu acho que a gente não deve perder a curiosidade pelas coisas: há muitos lugares para serem vistos, muitas pessoas para serem conhecidas. Tudo isso estimula a gente, clareia a cabeça, refresca. Por que não?"

(Caio Fernando Abreu - Todas as horas do fim - A Zaél Abreu - São Paulo, 15 de maio de 1980)

domingo, 19 de agosto de 2012

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Sobre as palavras...

"...o Reino de Deus pode começar ou terminar, na palavra que que escolhemos dizer."
Padre Fábio de Melo

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Que comece agora!


Que comece agora.
E que seja permanente essa vontade de ir além daquilo que me espera.
E que eu espero também.
Uma vontade de ser.
Aquela, que nasceu comigo e que me arrasta até a borda pra ver as flores que deixei de rastro pelo caminho.
Que me dê cadência das atitudes na hora de agir.
Que eu saiba puxar lá do fundo do baú, o jeito de sorrir pros nãos da vida.
Que as perdas sejam medidas em milímetros e que todo ganho não possa ser medido por fita métrica nem contado em reais.
Que minha bolsa esteja cheia de papéis coloridos e desenhados à giz de cera pelo anjo que mora comigo.
Que as relações criadas sejam honestamente mantidas e seladas com abraços longos.
Que eu possa também abrir espaço pra cultivar a todo instante as sementes do bem e da felicidade de quem não importa quem seja ou do mal que tenha feito para mim.
Que a vida me ensine a amar cada vez mais, de um jeito mais leve.
Que o respeito comigo mesma seja sempre obedecido com a paz de quem está se encontrando e se conhecendo com um coração maior.

Um encontro com a vontade de paz e o desejo de viver
Caio Fernando Abreu



Porque quando fecho os olhos, é você quem eu vejo; aos lados, em cima, embaixo, por fora e por dentro de mim. É você quem sorri, morde o lábio, fala grosso, conta histórias, me tira do sério, faz ares de palhaço, pinta segredos, ilumina o corredor por onde passo todos os dias. É agora que quero dividir maçãs, achar o fim do arco-íris, pisar sobre estrelas e acordar serena. É para já que preciso contar as descobertas, alisar seu peito, preparar uma massa, sentir seus cílios. Não quero saber de medo, paciência, tempo que vai chegar. Não negue, apareça. Seja forte. Porque é preciso coragem para me arriscar num futuro incerto. Não posso esperar. Tenho tudo pronto dentro de mim e uma alma que só sabe viver presentes. Sem esperas, sem amarras, sem receios, sem cobertas, sem sentido, sem passados. É preciso que você venha nesse exato momento. Abandone os antes. Chame do que quiser. Mas venha. Quero dividir meus erros, loucuras, beijos e chocolates. Apague minhas interrogações."                                 
                                                                                                                                                                                            Caio Fernando Abreu

sábado, 11 de agosto de 2012

PAZ

"Eu quero mais é viver em paz..."
Djavan (Fato Consumado)

AS ROSAS EXALAM


"As rosas, mesmo com as raízes mergulhadas no estrume, se abrem para oferecer ao mundo o seu inconfundível perfume.
O sândalo, por ser uma árvore nobre, deixa suave fragrância impregnada no machado que lhe dilacera as fibras."
Redação do Momento Espírita

quarta-feira, 25 de julho de 2012

ZEM


Sempre quis ser zem. Acho lindo. A minha imaginação sobre uma pessoa zem é alguém  regando um jardim com um leve sorriso na face (atenção para a suavidade da palavra "face", quem é zem tem face e não rosto ou cara).
No entanto, infelizmente, acho que não sou zem e , no passado, já até estive mais perto de ser. Também nunca conheci nenhuma pessoa zem para que nela me inspirasse, a não ser em filmes ou novelas, do tipo que não vê problemas em ter problemas ou se ferra como se nada estivesse acontecendo e ainda solta uma piadinha.
Eu gostaria muito mesmo de ser zem... Ser zem naturalmente...sem pensar em nada, achando graça de tudo, sem pressa, sem pressão alta, sem roer unha, sem relógio, sem celular, sem rivotril... mas meu telefone sempre toca, sempre some... e eu perco as chaves do carro (e às vezes perco o carro) , sempre está na hora de fazer alguma coisa e eu só consigo enxergar problemas como se fossem problemas.
Gostaria de sentar, cruzar as pernas e fazer aquele gesto de meditação com as mãos...ouvir música suave sem pensar no banco, na esteira,  no trabalho ou na batata que acabou. Mas eu não consigo sequer ter paciência para regar as flores.

Ranúzia Mello

COMO SE FÔSSEMOS DE FERRO


PARA SEMPRE





"A paisagem onde a gente brincou pela primeira vez não sai mais da gente."

(Candido Portinari)